24/11/2019

O Hipermito: A história das Grandes Guerras Santas!

Quando Masami Kurumada criou os Cavaleiros do Zodíaco, ele se baseou inicialmente na mitologia grega e nas constelações celestiais. Entretanto, no decorrer da série, muito foi criado e um novo mito ficcional se formou. Na tentativa de definir e caracterizar todo o universo de Saint Seiya, a editora Shueisha lançou um texto com muitas informações chave sobre as Guerras Santas passadas e esse material ficou conhecido como Hipermito, a mitologia adaptada de Cavaleiros do Zodíaco.

No Hipermito as origens do Cosmo e seus limites são discutidos, e as batalhas anteriores entre os deuses são apresentadas. Publicado em 1988 (antes da saga de Hades, Episode.G, The Lost Canvas, Saintia Shô, etc...), acabou servindo como base para o desenvolvimento das demais sagas de Cavaleiros do Zodíaco. Como não podia deixar de ser em um universo novo e tão complexo, muita coisa permaneceu sem explicação, mas o Hipermito resolveu e organizou muitas das questões relacionadas aos mistérios do Cosmo!
O Hipermito foi lançado em 10 de Agosto de 1988 no Japão, nas páginas da revista Cosmo Special, e abaixo você confere um pouco do seu conteúdo:

Desde a antigas eras, inúmeras Guerras Santas desenrolam-se com alguma revelação ao seu final!
A Fundação Graad tinha como obrigação se preparar para a Guerra Santa que estava por vir. Guiada pela mitologia mundial, escavou antigas ruínas em busca de respostas. O resultado: uma mitologia globalizada que se esparrama por toda a Terra, e que, por consequências, pode ser chamada de Hipermito. Com isto esclarecido, eis o Hipermito…

O Hipermito retrata as Guerras Santas, uma era mitológica, antiga e distante que florescera certa vez. O universo havia instantaneamente nascido. E o Hipermito, por sua vez, nascera com ele!

O Início
No começo dos tempos havia o nada (o Caos). Então veio o Big Bang, o nascimento de um universo em expansão.
Um dia, a “Grande Vontade” (Big Will no original), símbolo do poder espiritual, revelou-se ao mundo. As luzes e os relâmpagos espalharam-se pelo cosmos, dando uma espécie de alma a tudo o que tocava. A Grande Vontade é o poder dos deuses, os humanos não podem compreender sua natureza real. O Hipermito (a mitologia de Saint Seiya, que é na verdade uma convergência de mitologias e religiões do mundo todo) diz que cada homem que obtiver êxito ao unir sua alma à Grande Vontade se tornará um deus!

A Era da Criação do Universo
O BIG BANG – O nascimento do Universo
Com a Vontade Divina o Big Bang foi capaz de iniciar uma série de explosões e colisões, que resultaria nas estrelas que brilham no céu e na formação do universo em que vivemos.

MISTÉRIO! O grande período antes da explosão
A criação ‘pura’ do universo no Big Bang sempre foi para muitos um grande mistério.
Qual era a forma do ‘mundo’ antes que o Big Bang do Hipermito ocorresse? Como seria a relação disto com esta hiper-mitologia? É desconhecido por qualquer um neste mundo contemporâneo algo anterior ao momento da Grande Explosão.

CRONOS – O grande Deus do Tempo
Pelo Hipermito este Cronos é o ser que se tornou o gatilho do nascimento do universo, de alguma forma relacionando-se com o Big Bang. Embora exista um deus na mitologia grega, pai de Zeus, também chamado Cronos.

*(Obs, Este Cronos não é o Cronos titânico, escrito em grego como Kronos, 
mas sim um protodeus, grafado como Xronos).

O ‘BIG WILL’ – A Ação da Vontade Divina no Universo
A intenção da Divina Vontade desenvolveu o cosmos, expandindo-o como flechas de luz, formando as estrelas. Mas então, onde teria nascido esta Vontade Divina!?

A Era da Criação da Terra
O Surgimento da Vida
Como diz o Hipermito, a Vontade Divina criou em um certo planeta, de uma certa estrela, primeiro Gaia, em seguida Urano e Pontos. A vida nasceu do pó estelar. O ser humano logo veio a nascer e a evoluir, e com isto, a imaginar divindades.

A Era dos Deuses:
Somente três deuses não possuem forma nem vontade humana, são de natureza espiritual: Gaia (a terra), Uranos (o céu) e Ponthos (o mar).
Zeus, Hades e Poseidon foram os primeiros com forma e vontade humana a alcançar o “Big Will” e a serem adorados como deuses. Eles assumiram o controle da Terra, do Reino dos Mortos e dos Mares.

A "Grande Vontade" dos deuses pode ser considerada como o Nono Sentido, mais além dos primeiros oito sentidos, que incluem a todos. Os deuses também possuem o famoso Sétimo Sentido, assim como o Oitavo, o Arayashiki, que permite ir ao Mundo dos Mortos sem se converter em um deles. Por seu domínio da "Grande Vontade" estes deuses ganharam uma alma imortal, porém seus corpos são mortais. Eles, assim, têm que encarnar regularmente (a cada 250 anos em média) e alcançar a "Grande Vontade" novamente. Desta maneira, Saori Kido se tornou Atena somente quando realmente descobriu quem era e quando se tornou madura o suficiente para usar seu cosmo, justamente antes das batalhas contra o Santuário. Naturalmente você pode ver no mangá que quem revela a identidade de Atena aos Cavaleiros é a própria Saori Kido, não Tatsumi. Julian Solo tornou-se Poseidon somente no penúltimo episódio da série…Não se pode se esquecer de Shaka: seu nome fala por si só (é a reencarnação de Shakyamuni, o primeiro Buda).

A mitologia mundial e o Hipermito
Porquanto existam deuses em diversas mitologias no mundo, no Hipermito todos eles são apenas humanos que alcançaram a Divina Vontade. Deste modo, pode se dizer que toda a mitologia aconteceu conforme este Hipermito, independentemente de ser mitologia grega ou não.

Zeus, Hades e Poseidon
Nascidos muitos humanos, alguns poucos se tornaram grandes seres na Terra, fazendo despertar em seu corpo a Divina Vontade. Pode-se dizer que esta Vontade Divina é a supersensibilidade excedida, algo revelado além da superação do Sétimo Sentido do Microcosmo.
Então, a princípio, estas três pessoas haviam alcançado a revelação da Vontade Divina. Eles se nomearam Zeus, Hades e Poseidon. Proclamaram-se ‘deuses’ e expandiram seus poderes. Assim, os Céus e a Terra foram passados a Zeus, o Mar para Poseidon, e Hades reinando no Submundo.

O nascimento de Atena
Na mitologia grega é dito que Atena nasceu da cabeça de Zeus, entretanto, no Hipermito não há uma descrição explícita sobre seu nascimento. Embora uma verdadeira teoria, mantida secreta, sobre a lenda de seu nascimento.

Então um dia Zeus confiou a Terra à Atena e desapareceu, partindo para o além céu. Zeus, deus onipotente que desapareceu de repente. Por que ele sumiu? Por que deixou a Terra para Atena? Quais eram suas verdadeiras intenções? A existência de Zeus está repleta de mistério no Hipermito. É bem verdade que esta hiper-mitologia somente estará completa quando o enigma de Zeus for resolvido.

O principal deus dos Mares, Poseidon!
Poseidon sonhou administrar a Terra, entretanto somente reinara em território oceânico. Como na mitologia grega Poseidon era talentoso para criar seus próprios artefatos vivos, armou então seus Generais Marinas com as Escamas, pensando em mudar o episódio ocorrido anteriormente. (a partilha dos mundos)

POSEIDON – Os preparativos para a invasão à Terra
Poseidon, atento ao desaparecimento de Zeus, decide reinar sobre a Terra e começa a se preparar para destronar Atena. São selecionados os últimos soldados mais fortes, por isso nomeados Generais Marinas.
Para um Marina é destinada uma proteção nomeada Escama, produzida com Oricalco. Uma arma que também é desmontável para se postar em luta, que foi criada, pois, antes não havia também proteção para os punhos dos Marinas, sendo eles derrotados em Terra.

POSEIDON INVADE A TERRA – A primeira Guerra Santa
O Imperador dos Mares, Poseidon, irmão de Atena, em sua ambição começa a invasão da Terra. Não estavam os guerreiros da Terra, frente à capacidade militar opressiva dos Soldados de Poseidon, em condições de enfrentá-los. Neste momento, dizem que Hades, lá no Meikai, vislumbrava a cena espantosa da Terra. (alusão a quantidade de mortos que baixavam ao seu reino)

O palácio construído em Atlantis, é finalizado 
Poseidon fez de seu gigantesco Palácio sobre o Atlântico uma base na linha de frente para a invasão da Terra. Com a conclusão de Atlantis, Poseidon aumentou sua ferocidade em conquistar o mundo.
Como o castelo marítimo que Poseidon construiu era conhecido como um palácio continental, seu poder de defesa o tornava inconquistável, pois dizem que era defendido por mais de 10.000 soldados, acabando por fazer qualquer ataque um ato infrutífero. Sua existência é contada ao mundo por detrás do mito do continente perdido de Atlântida.
  
Mais Guerras Santas?
Desde a invasão de Poseidon à Terra, toda disputa pelo poder entre entidades divinas é nomeada Guerra Santa. Ela acontece quando a viciosidade mundial torna-se excessiva perante os olhos dos deuses. Durante a ausência de Atena todo Cavaleiro deve obedecer às ordens do Grande Mestre que é o líder das forças concentradas do Santuário. As Guerras Santas ocorre em média a cada 250 anos.

As Guerras Sagradas
As Guerras Sagradas são batalhas entre os deuses, e assim também entre os humanos que os veneram. O primeiro deus que causou uma Guerra Sagrada foi Poseidon. Totalmente determinado a conquistar o mundo, reuniu os melhores guerreiros dos sete mares e os nomeou Generais. Ofereceu aos seus Generais Marinas Armaduras de origem desconhecida (provavelmente criadas pelo próprio Poseidon); Os monstros mitológicos como sirenes, sereias, krakens, foram inspiradas pelas formas destas Armaduras, não o contrário. Foram feitas de oricalco (orichalchum), um metal que de acordo com uma lenda Selena provém de um meteoro vindo das proximidades de Saturno e que se chocou em Atlântida há muito tempo. Qualquer um que utilize armas feitas a partir desse material poderia ser invencível…

A guerra começa
Os guerreiros de Atena só podem utilizar seus punhos, já que a deusa recusa permitir-lhes o uso de armas. Todos os seus guerreiros morriam um a um e somente jovens garotos ainda estavam dispostos a lutar. Atena não queria vê-los sofrendo e decidiu dar a eles armaduras. Chamou então os alquimistas do continente onde viviam os ancestrais de Mu, o qual se localizava no meio do Oceano Pacífico, e forjaram estas armaduras.

Provavelmente o Hipermito faz alusão ao continente de Mu, 
que segundo a lenda, existiu no Pacífico Sul em tempos antigos.

Atena as desenhou, inspirada nas formas que via em cada uma das 88 constelações. Um Cavaleiro assim teria que estar em harmonia com a constelação que inspira sua armadura para estar autorizado a usá-la; em outras palavras, tem que estar protegido por estrelas de uma constelação.

Considerando que Mu não tem mais de 30 anos, significa que ainda havia outros descendentes do antigo continente vivos há pouco tempo. Isso é verdade, pois como explicar a origem do jovem Kiki?!

Este mítico continente foi absorvido pelos mares faz muito tempo, durante outra Guerra Sagrada, na qual se enfrentaram os Cavaleiros e os Titãs, seres que provocaram A Grande Explosão, que provavelmente fez vir à Terra a vontade de Hades.

O poder das Armaduras dependia de sua categoria (há 12 de Ouro, 24 de Prata, 48 de Bronze e 4 de origem desconhecida que Masami Kurumada não mencionou nem utilizou no mangá). Podem regenerar-se por si mesmas quando sofrem algum dano. Sua recuperaçãoé mais rápida se ficam em suas respectivas caixas-de-pandora, (conhecidas também como urnas das Armaduras), uma caixa de metal grande que os Cavaleiros sempre levam em suas costas. Atena então cria a Ordem dos Cavaleiros.
Desde então, Atena reencarna na Terra justamente antes do começo de cada Guerra Sagrada para dirigir seus guerreiros, reunidos no Santuário sob as ordens do Mestre o qual executa a vontade da deusa. Com a ajuda de suas armaduras, os Cavaleiros repelem os Marinas aos mares. Poseidon furioso reúne então seus guerreiros em seu templo gigante situado em Atlântida, (ou Atlantis se preferir). Atena envia ali oito guerreiros (naturalmente os mais fortes) para destruir o templo, os Marinas e mandar todo o continente diretamente às profundezas. A deusa então aprisiona a alma de Poseidon em uma ânfora e envia alguns Cavaleiros a resguardá-lo. Estes Cavaleiros, com o tempo, esquecem suas origens e se tornam os Blue Warriors.

Poseidon em sua seguinte reencarnação estabeleceu um novo templo justamente nas orlas do Cabo Sunion, na Grécia, no fundo do Mar Mediterrâneo, de modo que o suporte principal simboliza este mar.

O nascimento dos Santos Guerreiros
Então é dito que, ao fim de um ano de combate, em um famoso campo de batalha, surgiram garotos que também lutaram. Como Atena odiava armas, os jovens lutavam com somente uma proteção para o corpo. À proteção se deu o nome de Sagrada Armadura. E, por ver como estavam feridos, Atena nomeou seus garotos como Santos Guerreiros.

As Armaduras
São os trajes usados pelos Santos Guerreiros que foram feitos a pedido de Atena aos grandes mestres do Continente de Mu, tendo como material o oricalco e o gamânio. Em caso de um algum dano lhes ocorrer, pó de estrelas é usado para a restauração. 
Um Cavaleiro também leva consigo uma caixa que guarda sua vestimenta, um objeto exclusivo feito como o propósito de preservar e manter viva a Armadura, tendo um poder pré-determinado de promover a própria restauração do equipamento.

As constelações inspiraram as Armaduras?
O céu noturno que ostenta 88 constelações é desta maneira organizado pelo sentimento de Atena, acabando depois por inspirar as Armaduras Sagradas. As constelações, provavelmente, não foram inspiradas nas vestes dos Santos Guerreiros. (e sim, diretamente influenciadas pelos guerreiros lendários da época em que não existiam as Sagradas Armaduras)

A Derrota de Poseidon
Por causa do surgimento dos Santos Guerreiros, Atena superou sua inferioridade inicial ameaçando derrotar Poseidon. Achando um desperdício de tempo as investidas de Poseidon, ela tenta persuadi-lo a voltar ao mar. Porém, Poseidon desconsiderou esta oferta de Atena e…
…Uma alavanca fora acionada no interior de Atlantis. Um dilúvio aconteceu acompanhado por tremores de terra privando muitas vidas, inclusive de Marinas. Atena, enfurecida, envia oito Santos Guerreiros à Atlântida. Mesmo tendo sido aquela uma árdua batalha, os oito Santos afundam o reino marinho e devastam toda a Atlântida.

Os Blue Warriors são Santos Guerreiros?
A deusa Atena tendo aprisionado Poseidon, deus dos Mares, selou-o e enviou seu espírito para uma terra ártica sob vigia constante de alguns de seus Santos Guerreiros postados no Norte. Estes acabaram por construir uma nação protetora do espírito de Poseidon. Assim, futuramente, iriam se tornar os Guerreiros Azuis (Blue Warriors).

A criação do Santuário
Sete Gerações após a primeira Guerra Santa, Atena posta seu quartel general nas proximidades da atual Atenas. Logo, por o Ateneu ter doze templos construídos ao centro, passou então a ser chamado em todo o momento de Santuário, como se o centro fosse todo o Ateneu. [Ateneu = Athenaeum, n/t]

A Era do Caos
Gigantomaquia
Quando Atena enfim terminara seu Santuário outra Guerra Santa começou. Eram os Gigas do clã divino. Sobre esta tribo gigante não é explicado qualquer detalhe. Sua existência é misteriosa e envolta a um véu nebuloso. Porém, possuem uma força de luta que excede o poder de um Cavaleiro de Atena. Sobre os Gigas, foram enviados ao Meikai (inferno) de Hades e lá ficaram por um longo tempo até uma certa explosão, que certamente despertara para o mundo o onipotente deus. É dito que esta primeira prisão dos Gigas também fora um ato de Zeus.

Guerra contra os Gigas (Gigantes)
A deusa da Terra participou da Gigantomaquia, de acordo com a mitologia grega. Por desafiarem os deuses, a guerra teve início. Com a batalha em andamento, Gaia agrupara os Gigantes secretamente em uma caverna no Norte da Grécia. É considerado que Zeus, no primeiro confronto entre eles, batalhou tão arduamente como nunca o haviam forçado a fazer antes. Ao fim, de acordo com a mitologia grega, havia restado um último Gigante. Aquele que Atena derrotou, Encélado. Esta é uma passagem interessante que, porém, pode ser chamada de obscura.

A submersão do continente de Mu
Na época da Gigantomaquia o continente de Mu, que é tido como o local do nascimento das Sagradas Armaduras, afundou sob às águas do Pacífico. Com esta submersão do continente de Mu a produção de Armaduras foi cessada, sendo todos privados do método técnico de refino dourado. As causas da queda do continente de Mu são indefinidas.

Guerra contra Ares
A batalha contra o deus da guerra foi considerada a mais severa dentre as várias Guerras Santas que existiram, a guerra contra Ares. Sobre este, Ares é dito que ele é o deus mais cruel entre os deuses. Ares lançara a semente do conflito para a guerra que se expandiria por toda a Terra. Os batalhões de Ares: Chama, Fogo, Medo e Desastre, eram seus quatro exércitos. Eles eram chamados de Berserkeres e dizem que lutavam matando e destruindo tudo ao seu redor.

Hades e Ares
Com base na mitologia grega, muitos compreendem que o cruel Ares instigou Hades, chateando-o, com a enorme quantidade de pessoas mortas que adentravam em seu reino de sombras por causa da guerra. Esta linha de eventos da guerra de Ares contra Atena provavelmente desencadeou o surgimento das vestimentas dos guerreiros de Hades.

As críticas situações dos Cavaleiros
Dizem que a guerra dos Cavaleiros de Atena contra os quatro batalhões do exército de Ares se prolongou por muito tempo sem uma pausa sequer. É registrado que na época participaram do combate, 58 Cavaleiros. Este é o mesmo número de Cavaleiros da atualidade (A propósito, até hoje é considerado que não haviam 88 Cavaleiros juntos ao mesmo tempo em momento algum da história, sempre com alguma Armadura carente de portador). Nem mesmo com a maravilhosa participação dos Cavaleiros de Bronze, de Prata, e dos famosos Cavaleiros de Ouro, os defensores de Atena conseguiram subjugar a vilania dos Berserkeres e domar sua crueldade. Em inferioridade, foi necessário trazer uma nova dimensão para se obter sucesso nesta guerra.

Os Cavaleiros de Ouro usam as Armas de Libra
Fazem parte da  Armadura de Libra 12 armas em pares de 6 tipos. Não é permitido aos Cavaleiros de Atena usarem qualquer tipo de arma em uma luta corpo-a-corpo. Somente quando Atena vê a necessidade disto e autoriza o uso ao Cavaleiro de Ouro de Libra é que os Cavaleiros podem se armar em combate.
Um exemplo de quando as armas da Armadura de Libra puderam ser empregadas foi justamente na guerra contra os Berserkeres, o único precedente que existiu de seu uso em uma Guerra Santa.

A derrota de Ares
Atena concede autorização ao Cavaleiro de Libra para usarem suas armas contra o exército de Ares. Com as Armas de Libra os Cavaleiros puderam inverter momentaneamente a superioridade dos batalhões de Berserkeres. Nisto, Ares ao ver seu exército sendo destruído covardemente, abandona a luta e se refugia no Meikai.

Era dos homens
A Descoberta de Ilha da Rainha da Morte
Em tempos modernos, em uma ilha sob a linha do Equador, um Cavaleiros descobre um grande número de Armaduras nunca antes vistas. É a Ilha da Rainha da Morte, resquício do continente de Mu, onde estas Armaduras foram produzidas.


As Armaduras Negras
Na Ilha da Rainha da Morte foram descobertas em urnas (Caixas-de-Pandora) algumas Armaduras Negras, porém não eram Cavaleiros de Atena que as utilizavam...
Somente aqueles que haviam sido privados de ostentar o título de Sagrado Guerreiro ou aqueles que algum acidente acontecera aos seus corpos. Enfim, é dito que todo aquele que não conseguiu se tornar um Cavaleiro, busca a Ilha da Rainha da Morte, e que tais guerreiros possuem apenas uma força superficial.

O primeiro homem a trajar a Fênix
Um homem que queira usar a Armadura da constelação de Fênix deve ser o mais forte dentre os Cavaleiros de Bronze e também deve hospedar dentro de si um cosmo tão elevado quanto o de sua Armadura. Então, nenhum Cavaleiro havia sido capaz de usar tal Armadura permanentemente. Entretanto, enfim um homem foi capaz de usá-la. E este era Ikki!


Bloqueio à Ilha da Rainha da Morte
Atena, em lamentos por causa dos Cavaleiros Negros e do egoísmo de seus punhos, bloqueia a Ilha da Rainha da Morte. Sua real existência somente foi confirmada com a aparição dos Cavaleiros Negros após o fim do bloqueio.
 

O porquê da máscara de Guilty
O Cavaleiro que usa a máscara tem o poder de selar a Ilha da Rainha da Morte. O grande Guerreiro que receber esta máscara deve continuar lutando contra os Cavaleiros Negros que tentam destruir este selo.
A Guerra Santa anterior
A Guerra Santa mais recente foi há 243 anos. Embora seja dito que nestes dias 79 Cavaleiros combateram, o maior número da história, ao seu fim os sobreviventes foram escassos. O Cavaleiro de Ouro de Libra, Dohko – dos Cinco Picos Antigos, é um dos únicos sobreviventes. Como a maioria dos Cavaleiros perdeu a vida em tensas batalhas na Guerra Santa, este foi considerado um sinal prévio estabelecido para a próxima Guerra Santa.

Era um Cavaleiro de Ouro o antigo Mestre do Santuário?
O Mestre morto por Saga era um Cavaleiro de Ouro que lutou na Guerra Santa passada ao lado de Dohko.
Por ser um santo Guerreiro, tomou o assento de Grande Mestre, isto atualmente não é novidade. Saga se aproveitou, então, do conhecimento que detinha sobre o mistério da Guerra Santa anterior?!

A virgília de Dohko
Com o sacrifício precioso de inúmeros Cavaleiros na Guerra Santa. Atena acaba selando o mal, extirpando a excessiva viciosidade da Terra. Dohko era um Cavaleiro que sobreviveu à Guerra Santa anterior, por isso tinha a missão de vigiar os demônios após a prisão deles. Se pensarmos que uma pessoa tão poderosa quanto Dohko tem que vigiá-los, devemos considerar como eram realmente poderosos estes demônios. E podemos dizer que eram seres de fato extremamente fortes.

A retomada do Santuário
Saori Kido/Atena, para restaurar o Santuário deteriorado pela influência maligna de Saga de Gêmeos, sobe suas escadas ao lado de cinco Cavaleiros de Bronze.
O interessante na purificação do Santuário por Atena, é que havia Cavaleiros do Ouro que seguiam o Grande Mestre mesmo sabendo que ele era maligno. Os Cavaleiros de Atena, os guerreiros que protegem a justiça e que pensam que "a força é a justiça" são bastante excepcionais. Será que alguém havia plantado entre eles as sementes de mal? 

Este foi o texto de 1988 na íntegra. Lembrando que na época a saga de Hades não havia sido lançada ainda, então algumas das dúvidas abordadas no Hipermito, e as que pareceram ficar sob um véu de mistério, já foram respondidas com a conclusão do mangá Clássico, o lançamento da Enciclopédia Oficial em 2001 (lançada em 2004 no Brasil), e as demais sagas derivadas da obra original de Masami Kurumada.

Mesmo assim, devemos encarar o fato de quê muitos mistérios continuam sem respostas, porém, como em qualquer mitóloga, a "crença supre a falta de respostas", e o mistério que acerca os deuses é, em parte, o gás que mantém a chama da divindade acessa tão intensamente, conquistando uma legião de seguidores.

Kurumada pegou um conjunto de mitos pré-existentes, que permeiam a imaginação humana há séculos, e os elevou ao patamar da cultura pop, fazendo-os atingir um público que jamais se mostrara tão fascinado com a história dos deuses até o surgimento do jovem pégaso em um Santuário ficcional, talvez um Perseu da modernidade com alguns retoques orientais, o que bastava para ganhar seu lugar no mundo atual, bem como em nossos corações.

Um comentário:

  1. Materia excelente... de peso, todos os fãs de Cavaleiros deveriam ler! Parabéns pela matéria pessoal

    ResponderExcluir

Siga-nos

     Facebook  Twitter   Instagram  Pinterest  Youtube
    Contato@SaintSeiyaAlfa.com

Seguidores

Parceiros

 Raciocinando Filmes Area Gamer Sucode Manga Manitroll Canal Yeeah

Links oficiais

 Saint Seiya   Kurumada Pro
  Saint Seiya Anime
 Saintia Shô   Saint Seiya 30th
 Soul of Gold  Tamashii